Brasil está fraudando dados da COVID-19 segundo a lei de Benford?

2 Просмотры
Издатель
Um oferecimento:

Veja nosso site:

#Brasil #Covid19 #LeiDeBenford

Ajude o canal:



16vmNcrA4Mvf7CaRLirAmpnjz1ZH3bWNkQ (Bitcoin)
LSCnrubCVcpuLrGTTLMqpwRTXvYz7vMbbA (Litecoin)
0x28aec946919c70e5e25d7c6785ede7622278b463 (Ethereum)
nano_1s6i6xwujzqnmie8nc3x8rfumdnebpsd6h4cp9wgkcpk4eb1xn5u7n48ok5b (Nano)

E foi isso que os professores Ahmad Kilani and Georgios Georgiou, fizeram e publicaram os resultados em um artigo no journal of public health, no dia 27 de janeiro. Eles aplicaram a lei de Benford em números de casos de COVID-19 dos diversos paises. E descobriram que existe uma grande lista de países cujos números destoam da lei de benford. Dentre os países nessa lista, claro está o Brasil. E também os estados unidos. E também chile e argentina. E muitos outros. Isso não quer dizer que necessariamente há fraude nos números de mortes, mas sem dúvida alguma indica que há problemas aí. Isso nem precisaria ser feito porque nós sabemos qual é o problema: o interesse de políticos de ter mais mortes pela doença do que o real para justificar pedidos por mais verba. Os critérios para definir uma morte como sendo "morreu de covid" foram necessariamente relaxadas. Na inglaterra, se a pessoa teve um teste positivo de covid nas últimas 6 semanas e morreu, ela morreu de covid. Não importa se tenha sido atropelamento. Aqui no Brasil igualmente, se a pessoa testou covid quando chegou no hospital e morreu, morreu de covid, mesmo que tenha levado um tiro.


Vídeos usados:

Video by Pressmaster from Pexels
Video by cottonbro from Pexels

Pexels =
Категория
Комедии на любой вкус
Комментариев нет.